segunda-feira, 15 de março de 2010

Amparo em meu deserto






' Deus sempre levanta uma pessoa para ajudar você'

Cada um de nós tem a sua maneira
de lidar com situações problemáticas.
Devido a nossa individualidade,
podemos enxergar de modo diferente um mesmo
momento ruim em nossas vidas.
Mas todos nós, sem exceção,
já vivemos um período que muitos chamam de
“deserto”,
um termo comum que significa uma fase
de solidão em um caminho de dor.

“Quando passamos por um deserto não temos ajuda,
não temos conselho, não temos amigos”.
A maioria descreve esse mesmo quadro.
“Ficamos abandonados,
amargando nossas tragédias pessoais”.

Mas por que o “deserto”
de cada um de nós tem que ser assim?
Não somos uma família,
a família na qual o cabeça é Cristo?
Por que não ampararmos mutuamente?
Penso que as pessoas fogem dos problemas alheios.

Quando a dor é muito grande,
as pessoas não sabem o que dizer, como ajudar,
como ficar perto.
A maioria de nós prefere não se envolver.
Pensamos que na vida isso faz parte,
e que logo a pessoa sairá e ficará bem.
Mas esquecemos que muitos demoram a ficar bem,
alguns de fato ficam mais ou menos bem,
trazendo para dentro de si a dor de um
trauma que persiste,
um trauma que pode durar uma vida toda.

E tem aqueles que realmente saem do
“deserto” sozinhos,
mas sofrem em demasia,
sofrem porque não foram ajudados,
não foram consolados,
não foram amparados.

Que tipo de gente nós somos quando
enxergamos a dor de um irmão e ficamos
alheios a isso?
Por que essa palavra “deserto”
tem ainda que está em nosso meio?
Será mesmo que Deus,
que é o Senhor de nossas vidas,
abandona alguém,
deixando-a a mercê de um momento ruim?

Eu não creio em um Deus assim.
Isso é contra a sua natureza.
Ele se entristece com tanta falta de
amor e quando não ajudamos ao nosso próximo.
Enquanto nos fartamos em nossos
instantes plenos de alegria,
de motivação, de êxito,
o nosso companheiro ao lado está vivendo
um momento profundo de dissabor.


Para aqueles que estão vivendo um
momento de deserto,
posso assegurar que vocês não estão sozinhos.
Não fiquem decepcionados com palavras
que vocês não ouviram,
com atitudes que vocês não viram acontecer;
não entrem em autocomiseração.

Algumas pessoas dizem,
que foram nesses instantes que mais aprenderam
o poder da consolação que o Espírito Santo tem.
E sempre existe alguém que está sensível
à voz de Deus.

No meio de tanta gente que está aquém
do que está vivendo,
Deus sempre levanta uma pessoa
para erguer você,
para fazer a diferença em sua dor,
para falar coisas edificantes que fazem
você seguir em frente.



O deserto é necessário
Para nosso aprendizado
E para que venhamos a ser moldados
Deus não nos livra do deserto
Mas nos livra no deserto.
Lembre-se que se você está lá
Deus também está
Mesmo que em silêncio
Ele cuida de você.

(Texto adaptado do Grupo em nome do amor)


“QUANDO UM AMIGO TEM UM PROBLEMA, NÃO O DEIXE INIBIDO PERGUNTANDO SE TEM ALGO QUE VOCÊ POSSA FAZER, PENSE EM ALGO APROPRIADO E FAÇA.

EDGARD WATSON HOWE

Um comentário:

  1. Entendo essa frase como uma motivação para deixarmos, em determinadas cisrcunstâncias, sermos impulsionadas pelos nossos sentimentos. Quantas vezes nos calamos ou nos paralizamos diante das dificuldades do nosso próximo? Houve uma época em que o silêncio era extremamente necessário, porque as pessoas não paravam de falar umas com as outras e uma das outras. Hoje, creio que o individualismo está vestido, muitas vezes, desse silêncio. Escolhemos nos calar para não termos que nos envolver e chorar com os que choram. Não estou de forma alguma dizendo que o silêncio não é importante. é sim. Eu sei q é. Mas que ao ficarmos em silêncio estejamos prontos para estendermos a mão, nem que seja para apertar a do nosso próximo, ou dar um forte abraço. Que o nosso silêncio, quando for necessário, seja sempre seguido de um gesto que demonstre o nosso amor uns para com os outros.
    Gisele Campos

    ResponderExcluir

Olá
Faça seu comentário
Após a aprovação ele aparecerá no Blog.
Será sempre um prazer tê-lo por aqui.
Abraços de Karla Soares